Rádio Boa Nova – De Oliveira do Hospital para todo o mundo.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

NOTA DA REDACÇÃO

Por motivos de ordem pessoal, este blog fica suspenso por tempo indeterminado. Tentarei ser breve e regressarei com novidades. 

quarta-feira, 12 de julho de 2017

FESTA EXEMPLAR

Dias 8 e 9, foram dias de festa em Lagos da Beira. Festejaram-se os 41 anos de vida da Associação Desportiva de Lagos da Beira (ADLB), mas esta festa teve algo especial. Foi feita em parceria com os Amigos de Lagos da Beira – Grupo Musical. As parcerias entre associações não são muito habituais, mas são desejáveis e de grande utilidade. Rivalidades mesquinhas não devem ter lugar num meio cada vez mais pequeno. Remar para o mesmo lado é a única forma de andar em frente. Outro momento especial foi o 1.º Torneio de Futsal Família Amaral Cabral. Além de uma merecida homenagem a esta família que sempre apoiou o associativismo, tivemos a participação das quatro localidades que compõem a freguesia. Contribuir para a união desta vasta freguesia que vai da Póvoa ao Poeiro, foi um verdadeiro marco na nossa História. Muito se deseja que tenha continuidade. O torneio teve a Póvoa das Quartas como vencedora, mas foi uma prova onde todos saímos a ganhar. A noite de sábado acabou com uma brilhante actuação do Grupo Caravela Musical. No Domingo destaca-se o VI encontro de tunas promovido pelo Grupo Musical. 


Ficam aqui algumas imagens e um vídeo. Mais imagens podem ser vistas nas páginas Facebook das entidades organizadoras.
Jogo da final: Póvoa das Quartas/Lagos da Beira

Póvoa das Quartas - Equipa vencedora

Entrega de prémios



AMIGOS DE LAGOS DA BEIRA - GRUPO MUSICAL

GRUPO DE CANTARES DE SÃO PAIO DE GOUVEIA

GRUPO DE CANTARES SERÕES DA BEIRA ALTA - NELAS

domingo, 11 de junho de 2017

UM BLOG DE FAZER CRESCER ÁGUA NA BOCA

Grande é a actividade blogueira, mas não tão grande como a presença nas redes sociais, especialmente no Facebook. Complementar estas duas “ferramentas” é fácil e útil para quem quer ter o seu espaço e divulgar aquilo que gosta e vai fazendo. Lagos da Beira tem uma nova bloguer com um blog excelente para gulosos. Catarina Santos, com formação em cozinha e paixão por pastelaria, apresenta o seu blog de título “Água na boca”. Aqui serão apresentadas iguarias de fazer crescer água na boca, receitas deliciosas e dicas diversas. 

O blog já está activo na blogosfera e pode ser “degustado” em 



Nota: Se mais alguém na Freguesia tiver blogues, agradeço que me informem e terei muito gosto em divulgar.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

FESTIVAL MUNICIPAL DA CANÇÃO


A lagoense, Gabriela Filipa Atouguia Neto
foi a vencedora no escalão infantil (5 aos 10 anos)
 com a interpretação do tema
 “Amanhã de Manhã”, um êxito das Doce. 

(Foto: Nuno Neto)
A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital dinamizou no passado sábado, 3 de junho, a segunda edição do Festival Municipal da Canção subordinado ao tema “Canções em Português”. Pelo palco do Parque do Mandanelho passaram pequenos grandes talentos que com as suas vozes e interpretações brilhantes deslumbraram as centenas de pessoas presentes que não pouparam nos aplausos a estas jovens estrelas. 

Dirigido às crianças e jovens entre os 5 e os 15 anos, o espetáculo contou com a participação de doze participantes que interpretaram um total de dez canções. Os pequenos grandes cantores atuaram, individualmente e em duetos, divididos em dois escalões: 5 canções no infantil dos 5 aos 10 anos; e 5 canções no escalão juvenil dos 11 aos 15 anos. 

Gabriela Filipa Atouguia Neto foi a vencedora no escalão infantil (5 aos 10 anos) com a interpretação do tema “Amanhã de Manhã”, um êxito das Doce. Em segundo lugar ficou classificado o Martim Fernandes Coelho Nina que subiu ao palco com a música “Para Ti Maria” dos Xutos e Pontapés, e em terceiro lugar, a Carlota Rodrigues Pereira que interpretou o tema “Eu Vejo a Luz”, uma canção do filme Entrelaçados. 
VENCEDORES DO ESCALÃO INFANTIL

Já no escalão Juvenil (11 aos 15 anos) a vitória sorriu à Joana Marques que interpretou “Aleluia” de Gabriela Rocha. A dupla Tânia Beatriz Ferreira Santos e Andreia Silva Rocha que cantou “Era Eu” dos D.A.M.A arrecadou o segundo lugar e no terceiro ficaram classificadas Maria Martins da Cruz e Lara Mendes Pinheiro que subiram ao palco com o tema “Tudo Para Dar” de Mia Rose e Salvador Seixas. 
VENCEDORES DO ESCALÃO JUVENIL

Coube ao júri – constituído por Ana Carina Reis, maestrina e professora de Música; Júlio Pereira, músico; e Maria Helena Berardo, docente e membro do projeto Igualdade Local, Cidadania Responsável – a difícil tarefa de avaliar os intérpretes das dez músicas a concurso, de acordo com os critérios definidos pelo regulamento: afinação, ritmo, voz, interpretação e postura em palco. Foram atribuídos prémios aos três primeiros classificados de cada escalão sendo que todos os concorrentes recebem um certificado e um prémio de participação. 

No momento da entrega dos prémios, o presidente da Câmara Municipal, José Carlos Alexandrino e a vereadora da Educação e da Cultura, Graça Silva, deram os parabéns a todos os participantes realçando os seus talentos e a coragem para pisarem o palco proporcionando um espetáculo magnífico a todo o público presente. “Hoje, este palco está cheio de estrelas” disse o presidente da autarquia sublinhando que o importante não é ganhar o primeiro prémio porque “todos são vencedores” e foram brilhantes nas suas prestações. 

Numa noite em que o frio se fez sentir no Parque do Mandanelho, o espetáculo musical contou com várias novidades como o facto de os temas terem sido interpretados com música ao vivo tocada por uma banda e pela Orquestra Cultus Musicae e coros a cargo do Coro Infantil da Fundação Aurélio Amaro Diniz. O festival foi ainda enriquecido com a prestações musicais dos vencedores da edição anterior do Festival Municipal da Canção, Inês Alves e João Oliveira; de Andreia Oliveira, uma jovem cantora do concelho, dos concorrentes suplentes que também subiram ao palco, e ainda com a interpretação de um tema que juntou, no palco, os concorrentes e os seus pais. Promovido pelo Município de Oliveira do Hospital, o Festival Municipal da Canção visa sensibilizar e motivar as crianças para a música, e contou também com a parceria de cabeleireiras do comércio local que pentearam e maquilharam todos os participantes. 

Texto e fotos do site oficial do Município - www.cm-oliveiradohospital.pt

NOTA DA REDAÇÃO

Este blogue, que pretende dar notícias desta Freguesia, nem sempre consegue cumprir. Sou sozinho e todos os pedidos de colaboração foram sempre em vão. Não me é possível estar a par e passo de tudo o que se passa numa Freguesia tão vasta. Da Póvoa ao Poeiro, muita coisa acontece. Basta pensar no frenético movimento associativo e juntar-lhe todas as atividades próprias desta época de verão. Assim passou em falso a Festa do Benfica em Lagos da Beira e a Festa das Febras na Póvoa das Quartas. 

Deixo aqui um pedido de desculpa a todas as instituições que não vejam as suas atividades aqui divulgadas. Para minorar esta situação, basta que alguém me alerte para a realização de qualquer evento. Os contactos estão no Blogue e todos me conhecem pessoalmente. 

Em breve, o blogue será reestruturado para uma plataforma mais vasta em articulação com a comunicação social local. Haverá espaço para a divulgação de toda a atividade na Internet de todos os naturais, residentes e descendentes desta União de Freguesias

domingo, 14 de maio de 2017

GRUPO MUSICAL INTERPRETA TARQUÍNIO HALL

Os Amigos de Lagos da Beira – Grupo Musical festejaram hoje o seu quinto aniversário. Estão de parabéns pelo seu quinto ano de vida e estão de parabéns por brindarem o público com uma música, cuja letra é um belo poema de Tarquínio Hall. Diz o povo que santos da porta não fazem milagres ou que ninguém é profeta na sua terra. De facto, há uma estranha tendência para as pessoas ignorarem, desprezarem e até rebaixarem os seus mais ilustres. Esta iniciativa do Grupo Musical vem contrariar essa tendência filha da inveja dos medíocres. Tarquínio Hall é o mais ilustre lagoense no campo da cultura. A sua investigação histórica é a única obra que nos ajuda a compreender as nossas origens. O seu legado, em forma de biblioteca museu, é um monumento à sabedoria, apreciado por quem nos visita e, nesciamente, ignorado por “nós”. A sua poesia é uma cascata de sentimentos saída da sua imensa criatividade e sensibilidade. Manter viva a sua obra através da música e de todos os meios, é a obrigação moral de todos os agentes culturais, onde se destaca este grupo musical. Obrigado e parabéns.

terça-feira, 2 de maio de 2017

JOSÉ CARLOS ALEXANDRINO RECANDIDATA-SE

José Carlos Alexandrino recandidata-se a Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital. A confirmação foi dada pela Federação de Coimbra do Partido Socialista em comunicado à Rádio Boa Nova. José Carlos Alexandrino foi eleito em 2009 para o primeiro mandato e reeleito em 2013 para o segundo. Avança agora para disputar as eleições do próximo dia 01 de Outubro.

NOTA: Este blogue não tem qualquer inclinação política. Prima pela total isenção. Em ano de eleições autárquicas, limita-se a anunciar as candidaturas à câmara e à junta, conforme forem surgindo. No fim serão publicados os resultados e mais nada. 

segunda-feira, 1 de maio de 2017

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE LAGOS DA BEIRA DE VENTO EM POPA

“Morte lenta”, “Sem esperança”, “Extinção”, são palavras ou expressões que eu usei, tanto verbalmente, como por escrito sobre a Associação Desportiva de Lagos da Beira. Engana-se quem pensa que usava tais termos como algum gáudio. Afinal, sou sócio desde os treze anos, comecei ali a trabalhar aos dezassete e só parei aos quarenta e dois, embora com algumas interrupções. Usava essas tristes palavras com mágoa, mas que mais podia mais dizer de uma coletividade que tinha que usar o plano “Z” de ter que alugar a casa para não se perder para sempre? Essa é a última solução e já nada tem a ver com associativismo. Também algumas vezes disse e escrevi que uma associação sem objetivos e que limita a vender copos, não serve para grande coisa. A oferta de cafés em Lagos não é grande, mas a procura também não, visto que somos cada vez menos. Uma associação que se limite a ser mais um café, não faz falta e acaba por desmotivar quem lá trabalha. Eu trabalhava na ADLB quando a nossa equipa levantou a taça de Campeão Distrital do INATEL. Eu fiz parte da Direção que andou de porta em porta, de telha debaixo do braço, a pedir dinheiro para o telhado da Sede. Esses mandatos estão na minha memória. Os mandatos, em que passei um ano a encher copos, não deixaram qualquer marca na minha mente, nem na instituição. 

Quando há quatro anos, uma equipa se propôs a recuperar uma associação moribunda, considerei tarefa difícil, mas não impossível, conhecendo eu a tenacidade das pessoas envolvidas. As coisas foram mudando e, pouco a pouco, foi-se instalando um novo espirito e uma nova consciência. Os jovens descobriram e os menos jovens redescobriram, o associativismo como forma de ocupar tempos livres autovalorizando-se, divulgar, animar e valorizar a sua terra e conviver. Conviver é mesmo o que mais falta na sociedade moderna que vive de olhos postos num ecrã na mais estúpida solidão. 

Tudo isto para dizer que hoje foi um dia apoteótico na vida mais recente da ADLB. A tradicional “Matança do Porco” não foi mais um almoço de amigos, como já se tem visto. Foi um verdadeiro hino ao convívio com um salão completamente cheio. Depois, não se serviram só os habituais torresmos, febras e vinho. Serviram-se sinais de um projeto a sério com um plano de atividades ambicioso, mas perfeitamente ao alcance da equipa diretiva e apoiantes. De obras na Sede à edição de um livro sobre a história da ADLB, haverá de tudo um pouco. O especial destaque vai para o regresso ao Campeonato do INATEL. A promoção do desporto em geral e o futebol em especial é o objetivo estatutário da associação. Nada fazer nesse campo, só não era uma falha, porque também compreendo as limitações de anteriores direções. O futebol, além da saudável prática desportiva, tem a virtude de unir as pessoas numa causa comum. É motivo de animação e convívio para esta terra que bem precisa. Outro objetivo desta equipa é homenagear pessoas que muito contribuíram para esta casa. O torneio de malha terá o nome de Alcides Garcia de Campos, sócio fundador e grande obreiro da ADLB. Um torneio de futebol terá o nome da Família Amaral Cabral que sempre apoiou a associação. Estas homenagens são da mais elementar justiça. 

O poder autárquico esteve presente em força nesta festa com a quase totalidade dos seus órgãos executivos. Tanto José António Guilherme, Presidente da Junta de Freguesia, como José Carlos Alexandrino, Presidente da Câmara Municipal, mostraram-se sensibilizados com a nova dinâmica da Associação Desportiva de Lagos da Beira. Ambos se comprometeram em apoiar a execução dos vários projetos a nível financeiro e logístico. 

Verificando que os membros dos órgãos sociais e colaboradores da ADLB trabalham em equipa não vou citar nem destacar nomes. Deixo aqui para todos eles uma palavra de parabéns e votos de muito sucesso. Termino com o apelo ao povo para que deem o vosso apoio a esta equipa que trabalha de forma voluntária para todos nós.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

A.D. LAGOS DA BEIRA - TORNEIO DA MALHA

A Associação Desportiva de Lagos da Beira vai organizar o 1.º Torneio da Malha “Alcides Garcia de Campos”. A colectividade pretende assim associar, em jeito de homenagem, um jogo tradicional muito popular na região ao nome de um dos maiores obreiros da associação. Aqui fica o cartaz de mais uma actividade do vasto e variado leque que esta associação pretende abrir.




terça-feira, 18 de abril de 2017

LAGOS DA BEIRA - UMA NOVA PÁGINA NA HISTÓRIA

Segundo a obra de Tarquínio Hall, “Lagos da Beira – Subsídios para a sua História”, o nome de Lagos surge pela primeira vez em documentos nas Inquirições de Dom Afonso III, em 1258. Numa obra recentemente editada e de que falarei noutro artigo, o autor refere outra data. Trata-se do livro “Meruge – Contributos para a História da Freguesia de Pedro Pina Nóbrega. Aqui é citado um documento de doação de dois casais da Lajeosa ao Mosteiro de Santa Cruz. As doações foram feitas por Gonçalo Afonso e sua esposa em 1138. O documento faz referência a várias povoações, como Meruge, Lajeosa, Lagares, Travanca e Lagos. A História tem esta dinâmica de nunca estar completa. Apesar da importância das Inquirições de Dom Afonso III, ficamos a saber da existência de um documento escrito 120 anos antes e que tem a particularidade de ser anterior à nacionalidade. Note-se que só no ano seguinte, em 1139, é que Afonso Henriques foi aclamado rei, após a estrondosa vitória contra os mouros na Batalha de Ourique. A partir daqui, a acção diplomática do Arcebispo de Braga, Dom João Peculiar, levou à assinatura do tratado de Zamora em 5 de Outubro de 1143, dando a independência a Portugal.